Agrotóxicos: 12 coisas que você não sabia


Imagem destaque deste post

Enquanto alguns desafiam “tente produzir em larga escala sem agrotóxicos”, outros respondem “mas o Brasil permite até agrotóxicos que são proibidos mundialmente!”. E agora?

Como você pode imaginar, uma empresa de reciclagem como a BH Recicla é, em essência, uma defensora do meio ambiente e de todas as formas de vida. E isso inclui os seres humanos, claro!

Por isso, entendemos o dilema em torno do uso de agrotóxicos e reunimos algumas informações importantes para ajudar você a entender melhor esse assunto.

Confira 12 coisas que você talvez ainda não saiba sobre essas substâncias:

#1. Antes de serem usados como defensivos agrícolas, as substâncias hoje conhecidas como agrotóxicos foram usadas como armas químicas na Primeira e Segunda Guerras mundiais;

#2. Porém, é certo que o uso das substâncias como agrotóxicos não tinha por objetivo causar a morte dos seres humanos. Na verdade, o plano era viabilizar a produção em larga escala para combater a fome, mas nem tudo saiu como planejado;

#3. No Brasil da década de 1960, governo e fábricas de agrotóxico impuseram que o financiamento bancário para a compra de sementes só seria concedido ao agricultor que também comprasse agrotóxico. A consequência foi uma contaminação ambiental que não erradicou a fome;

#4. Já em 1970, o Brasil entrou na lista dos 5 maiores consumidores de agrotóxico do mundo, contando com a “ajuda” de fábricas mundiais que se transferiram para o país;

#5. Hoje, somos o maior consumidor de agrotóxicos do planeta, a menos que façamos uma análise por hectare, como defende o presidente da Bayer, Theo van der Loo. Para ele, o fato de o país possuir duas safras ao ano e ser um grande produtor de alimentos justifica o uso elevado da substância em comparação com outros países do mundo;

#6. A questão é que algumas pesquisas apontam que, sem os agrotóxicos, produzir alimentos em larga escala em áreas como cerrado brasileiro seria impossível: “A agricultura menos eficiente demandaria maior área de cultivo e provavelmente resultaria em maior dano ambiental”;

#7. Mas também há estudos que indicam que, “os agrotóxicos, quando usados indiscriminadamente, oferecem sérios riscos à saúde, em especial aos agricultores, que manuseiam os produtos, e aos consumidores”;

#8. Além de riscos à saúde, agrotóxicos também são nocivos ao meio ambiente porque podem contaminar o solo, a água e o ar, matando vegetações e contaminando animais;

#9. Um dossiê publicado pela Associação Brasileira de Saúde Pública afirma que “são fartas as evidências documentadas que comprovam que a produção de alimentos intoxicados não é uma necessidade irremediável para assegurar o abastecimento de uma população mundial crescente”;

#10. Ainda que alguns defensores dos químicos digam que os até formas alternativas de cultivo fazem uso das substâncias, os sistemas orgânicos não utilizam agrotóxicos. Além disso, apostam na “otimização do uso dos recursos naturais e socioeconômicos disponíveis e o respeito à integridade cultural das comunidades rurais”, visando a sustentabilidade econômica e ecológica;

#11. Existem soluções naturais para substituir ou reduzir o uso de agrotóxicos e combater pragas que ameaçam as plantações que vão desde a criação de um sistema de controle biológico ao uso de biopesticidas;

#12. Ainda que existam alternativas e formas de minimizar o uso de substâncias químicas, em 2019, o Brasil liberou agrotóxicos de alta toxicidade, já banidos nos EUA e na União Européia.

E você, o que acha do uso de agrotóxicos? Deixe um comentário e compartilhe conosco suas ideias!


Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook icon

Receba nossas notícias na sua caixa de emails!

Se inscreva abaixo para receber emails periódicos com conteúdos relevantes sobre sustentabilidade e a cidade ;)

Deixe seu comentário :)