Jovem baiana é a primeira brasileira a ganhar prêmio ambiental da ONU


Imagem destaque deste post

Se você é como nós da BH Recicla e se interessa por soluções inovadoras que podem ajudar a proteger e salvar o meio ambiente, guarde este nome com orgulho: Anna Luísa Beserra Santos, a primeira brasileira que, aos 21 anos, ganhou o principal prêmio ambiental da ONU.

Desenvolvedora do dispositivo batizado de Aqualuz em parceria com colegas da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal do Ceará, a baiana apresentou ao Brasil uma solução que já distribui água potável a 265 pessoas e, segundo previsão, alcançará mais de 700 ainda em 2019.

Aqualuz, o dispositivo premiado pela ONU

Aqualuz é o nome dado ao dispositivo desenvolvido por Anna Luísa e que recebeu o prêmio principal da ONU Meio Ambiente. Trata-se de uma junção de “água” e “luz” e que indica bem o funcionamento da solução que se baseia no uso da energia solar para purificar a água e torná-la própria para o consumo.

null

Até chegar à versão atual do dispositivo que está em teste em cisternas do semiárido nordestino, Anna Luísa desenvolveu 10 versões da tecnologia que tem por objetivo purificar a água sem fazer o uso de substâncias químicas ou de filtros descartáveis e poluentes.

O princípio do funcionamento do dispositivo é de simples entendimento: a ideia é usar a luz solar para eliminar contaminantes da água.

“A gente passa protetor quando vai à praia justamente para nos protegermos contra a radiação ultravioleta. Em humanos, ela causa câncer de pele, mas para vírus e bactérias, ela é letal. A gente aproveita a mesma radiação ultravioleta para fazer o tratamento na água, que passa a ser potável”, disse a jovem à BBC.

A premiação Jovens Campeões da Terra

O ‘Jovens Campeões da Terra’ é uma premiação das Organizações das Nações Unidas que contempla participantes com idades entre 18 e 30 anos. Seu objetivo é estimular a formação de uma nova geração de líderes que apresentem ideias inovadoras para o futuro do planeta.

null

Ao todo, o prêmio que existe desde 2017 elege sete vencedores que recebem 15 mil dólares para investir em seus projetos e mais 9 mil dólares para investimentos em comunicação e marketing. Os contemplados ainda são convidados a participar de reuniões da ONU para apresentar suas ideias mundo afora.

Segundo a EBC, esta é a primeira vez que o Brasil se destaca na premiação da ONU. O prêmio ‘Jovens Campeões da Terra’ abriu inscrições ainda em janeiro, recebendo a candidatura de 158 brasileiros em meio às quase mil de todo o mundo.

Em 26 de setembro, durante a 74ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Anna Luísa receberá seu prêmio junto aos outros seis vencedores.

Além dela, outros três brasileiros estão entre os finalistas globais: Bárbara Schorchit, fundadora da Genecoin; Bernardo Andrade, desenvolvedor do projeto Casa do Semiárido; e Felipe Villela, fundador da empresa reNature.

A brasileira Anna Luísa Beserra

Atuando desde 2013 no desenvolvimento sustentável, ano em que recebeu uma bolsa para jovens cientistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Anna Luísa Beserra tem um currículo respeitável apesar da pouca idade.

A jovem se graduou em Biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia e deu prosseguimento aos estudos com a pós-graduação em Sistemas de Gestão Integrada de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Sustentabilidade, em andamento pela Faculdade Unyleya de São Paulo.

Ainda, ela tem cursos concluídos fora do país nas áreas de liderança e empreendedorismo (MIT - Cambridge/EUA) e desenvolvimento de startups focadas em água e saneamento (CEWAS - Willisau/Suíça).

null

Além disso, Anna Luísa acumula experiências com a Young Water Solutions, uma organização internacional sem fins lucrativos que apoia e orienta o desenvolvimento de jovens que desejam atuar na gestão universal da água e de recursos hídricos, e atuando como consultora de tecnologias em água e saneamento em Salvador.

Em paralelo a essas atividades, a baiana ainda é fundadora e CEO da Safe Drink Water For All e fundadora e CTO da AIA, uma startup focada no desenvolvimento de um biodigestor doméstico para resíduos orgânicos.

Conhece algum outro brasileiro que desenvolve projetos inovadores para o meio ambiente? Compartilhe conosco!


Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook icon

Receba nossas notícias na sua caixa de emails!

Se inscreva abaixo para receber emails periódicos com conteúdos relevantes sobre sustentabilidade e a cidade ;)

Deixe seu comentário :)