Tecnologia e Meio Ambiente: como a ciência pode ajudar na luta contra a poluição


Imagem destaque deste post

Num passado não muito distante, era normal pensar que a tecnologia e a ciência estavam sempre no lado oposto da proteção do meio ambiente. Isso porque o progresso parecia ser sinônimo de menos “verde” e menos cuidado com o planeta.

Felizmente, a realidade não é bem assim! A sociedade global — cidadãos e empresas — se posicionam cada vez mais em defesa de todas as formas de vida da Terra. É nesse cenário que encontramos caminhos promissores na luta contra a poluição. Quer saber mais? Acompanhe!

Tecnologia verde a favor da energia renovável

O uso de fontes de energia renovável é cada vez mais incentivado em todo o mundo. Não sem motivo, o estudo New Energy Outlook, da Bloomberg New Energy Finance prevê que o uso de painéis fotovoltaicos vai se popularizar cada vez mais.

Até 2040, esse tipo de painel solar vai representar até 24% da eletricidade da Austrália, 20% do Brasil, 15% da Alemanha, 12% do Japão e 5% da Índia e dos Estados Unidos.

É nessa tecnologia verde que aposta a Sunew. A startup de Belo Horizonte, que foi finalista do Start Up Energy Transition, prêmio internacional de energia sustentável.

Aplicativos de transporte e a redução da emissão de gases do efeito estufa

Uma pesquisa desenvolvida no MIT mostra que uma frota de 3 mil carros de aplicativos como o Uber poderiam substituir a frota de 14 mil táxis de Nova York. Isso, se considerarmos o serviço de corridas compartilhadas.

Longe de uma apologia ou não ao uso desses aplicativos, o que esse dado mostra é que compartilhar, ou “pegar carona”, pode ajudar a reduzir significativamente o trânsito de grandes cidades. Consequentemente, a prática favorece, também, a redução da emissão de gases do efeito estufa e da poluição do ar.

É claro que não é viável que todos os usuários desses apps optem por corridas compartilhadas. Porém, há razões para observarmos essa tendência que pode ser muito benéfica para o meio ambiente.

Sustentabilidade empresarial e a mudança nas cadeias produtiva e de consumo

O avanço da tecnologia favoreceu a utilização de materiais econômica e ecologicamente mais sustentáveis. É o caso, por exemplo, de produtos alternativos que podem ser utilizados na construção civil, ajudando o meio ambiente e pesando menos no bolso.

Em várias outras esferas as inovações científicas e tecnológicas abriram espaço para novos métodos de produção. É o que acontece a partir da reciclagem e do reaproveitamento de matérias primas.

Tudo isso reflete o conceito de sustentabilidade empresarial: um conjunto de práticas sociais e ambientais que visam o desenvolvimento sustentável, atendendo à demandas da sociedade.

Uma pesquisa do Instituto Data Popular apontou que 52% dos entrevistados mudariam hábitos de consumo para proteger o meio ambiente. E que 63%, ainda em 2014, já preferiam produtos que não sejam nocivos, ainda que mais caros.

É nesse contexto que as cadeias de produção e consumo seguem sofrendo alterações, se apoiando na ciência e na tecnologia em busca de soluções menos poluentes.

Você também pode fazer a sua parte

Mais do que acompanhar a evolução da relação entre tecnologia e meio ambiente, cada um de nós também pode atuar para reduzir a poluição no planeta.

Há diversas ações simples, como a coleta seletiva, a reciclagem de lixo eletrônico e o reaproveitamento de materiais utilizados no dia a dia, por exemplo.

Empresas também podem colaborar, aderindo à prática de desmobilização empresarial, por exemplo. Por meio dela, é possível dar a destinação adequada à estruturas e equipamentos que perdem o seu uso e que acabariam virando lixo.

Gostou de saber mais da parceria entre tecnologia e ciência em defesa do meio ambiente? Compartilhe este post nas redes sociais!


Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook icon

Receba nossas notícias na sua caixa de emails!

Se inscreva abaixo para receber emails periódicos com conteúdos relevantes sobre sustentabilidade e a cidade ;)

Deixe seu comentário :)