Smart City: você sabe o que é uma cidade inteligente?


Imagem destaque deste post

O que vem à sua mente quando você pensa na ideia de smart city ou cidade inteligente? Se você acredita que a ideia tem a ver com o uso da tecnologia, já está no caminho certo, mas isso não é tudo!

Você que, como nós da BH Recicla, se preocupa com o futuro do planeta, vai gostar de conhecer o conceito de smart city. Neste post, vamos apresentar essa iniciativa, assim como os benefícios atrelados a ela. Vamos lá?

O que é uma smart city?

null

Infográfico: smartcitylaguna.com.br

O conceito de smart city se refere a um sistema de pessoas que interagem e fazem uso da mesma energia e serviços, visando promover o desenvolvimento e garantir a melhora da qualidade de vida.

A inteligência reside no fato de que, para alcançar os objetivos propostos pela iniciativa, esse sistema de pessoas - a cidade - precisa fazer uso estratégico de recursos. Algo que demanda planejamento e a busca por soluções, por vezes baseadas em tecnologias inovadoras, que correspondam às necessidades socioeconômicas do local.

Como você pode imaginar, ser uma smart city não é uma tarefa simples porque é preciso coordenar muitos setores e agentes em prol de objetivos comuns. Sendo assim, não existe um critério único para determinar se uma cidade é inteligente ou não, mas é possível fazer essa análise.

Os critérios de uma smart city

Para ajudar na avaliação das cidades e também para direcionar sua evolução, o IESE Business School, da Espanha, criou um ranking chamado Cities Motion Index.

Esse ranking apresenta nove critérios que são:

  1. capital humano;
  2. coesão social;
  3. economia;
  4. governança;
  5. meio ambiente;
  6. mobilidade e transporte;
  7. planejamento urbano;
  8. conexões internacionais;
  9. tecnologia.

Peguemos como exemplo o critério relacionado ao meio ambiente. Smarts cities bem rankeadas nessa área são aquelas que apostam em medidas para o desenvolvimento sustentável. Em outras palavras, as que conseguem suprir as necessidades de sua sociedade atual, sem comprometer o futuro das gerações seguintes.

A cidade de Reykjavik, que apresentamos como Case de sucesso ambiental aqui no blog, ocupa o 5° lugar geral no ranking, sendo a líder em meio ambiente. Por lá, os índices de poluição e emissão de gases causadores do efeito estufa é baixo porque a capital islandesa é 100% abastecida por energia limpa.

A smart city na prática e seus benefícios

Uma cidade pode investir em projetos de educação ambiental para seus cidadãos, por exemplo. Mas apenas ensiná-los a gerar menos lixo e separar seus resíduos para a reciclagem não é o suficiente se não existir um sistema funcional de coleta de recicláveis.

Para entender ainda melhor qual deve ser o pensamento de uma smart city, considere ainda outros critérios do Cities Motion Index e tenha em mente as bicicletas e patinetes compartilhados.

Uma candidata ao título de cidade inteligente pode garantir o acesso à tecnologia, aumentando a cobertura da internet móvel para que cidadãos tenham acesso aos aplicativos de cada empresa. Porém, se não investir em mobilidade urbana e educação de trânsito, pode criar um cenário que limita o potencial dessas soluções de transporte alternativo.

Esses exemplos mostram que os benefícios de uma smart city estão atrelados ao uso mais estratégico dos recursos que dispõe, inclusive daqueles oferecidos pelo planeta. E que, por fim, promovem a melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos.

Se nossas cidades ainda não são smart cities, ao menos, podemos fazer a nossa parte em pequenas ações. Solicite a coleta gratuita da BH Recicla e dê o destino correto ao seu lixo eletrônico!


Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook icon

Receba nossas notícias na sua caixa de emails!

Se inscreva abaixo para receber emails periódicos com conteúdos relevantes sobre sustentabilidade e a cidade ;)

Deixe seu comentário :)