22 de Março – Dia Mundial da Água


Imagem destaque deste post

A água é um recurso essencial para a sobrevivência dos seres vivos. Ela atua mantendo nosso corpo hidratado, ajuda no transporte de substâncias, funciona como solvente, regula a nossa temperatura, participa de reações químicas e muito mais.

Apesar de nosso planeta ser repleto de água, estima-se que apenas 0,77% dessa água esteja disponível para o consumo humano em lagos, rios e reservatórios subterrâneos. Vale lembrar que essa parte própria para o consumo não está distribuída igualmente por todo o território, tornando a água um bem ainda mais precioso e um possível foco de grandes conflitos.

Além da escassez em algumas partes do Planeta, a poluição também contribui para a falta de água para consumo em algumas regiões. Estimasse que 20% da população mundial não tenha acesso a água limpa, e segundo a UNICEF, cerca de 1400 crianças menores de cinco anos morrem todos os dias em decorrência da falta de água potável, saneamento básico e higiene.

Diante dessa importância, surge o Dia Mundial da Água, criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), visando a ampliação da discussão sobre o tema. No dia 22 de Março de 1992 além de instituir a data, foi divulgado a Declaração Universal dos Direitos da Água, que é ordenada em 10 artigos:

  1. A água faz parte do patrimônio do planeta;
  2. A água é a seiva do nosso planeta;
  3. Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados;
  4. O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos;
  5. A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores;
  6. A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo;
  7. A água não deve ser desperdiçada nem poluída, nem envenenada;
  8. A utilização da água implica respeito à lei;
  9. A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social;
  10. O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Assim, a água de qualidade e o saneamento básico passaram a ser um direito garantido por lei. O uso racional e sua preservação são fundamentais para garantir qualidade de vida para a nossa geração e também para as gerações futuras.

null


Gostou?

Que tal compartilhar este artigo?

Facebook icon

Receba nossas notícias na sua caixa de emails!

Se inscreva abaixo para receber emails periódicos com conteúdos relevantes sobre sustentabilidade e a cidade ;)

Deixe seu comentário :)